domingo, setembro 23, 2007

33 anos de dança popular

No dia 21 de agosto aconteceu a apresentação única do espetáculo Brasil, meu Nordeste brasileiro, comemorando os 33 anos da Cia. Capibaribe da Dança. Administrado pelo multiartista Roberto Oliveira (autor e diretor da peça As vizinhas, cujas fotos foram postadas na semana passada), o grupo da cidade de Moreno (PE) já se apresentou em vários festivais, inclusive na América Latina e Europa, divulgando aspectos da herança popular do Brasil. No evento, além das homenagens de praxe, números de dança recriando vários folguedos e manifestações tradicionais - com bailarinos reunidos especialmente para a ocasião - foram apresentados com música ao vivo no palco do Teatro de Santa Isabel, em Recife.



























































6 comentários:

Thelma disse...

Tu arrasas nas fotos, Felipe!!!!!

Felipe disse...

Obrigado Thelminha!
E tu acreditas? Nem me toquei de levar a máquina pra gente se fotografar no Central. Precisamos marcar outra vez e incluir Cidinha e Cynthia e fotografar toda reunida a galera blogueira que se conheceu por aqui.
Bjão!

Ana disse...

Também quero estar neste encontroooo!

isa disse...

oi, felipe! adorei teu trabalho, e teu blog! conheci atraves da ana, e ja postei comentario sobre isto no meu blog tbem! vou procurar comprar o livro. adorei teu recital poetico com tom melancolico, casualmente montei um em 2005 que se chamou memoria da melancolia, com musicas ao piano e poesias de neruda e pessoa. fiz com um ator, dividiamos as poesias e eu toquei piano. achei interessante os temas em comum. parabens pelo trabalho! isabel.

Felipe disse...

Venha visitar o Nordeste, Ana!!!
Ainda não posso te receber na minha casa, mas não vão faltar pessoas que te hospedarão com o maior carinho. Bjão

Felipe disse...

Obrigado, Isabel.
Espero que goste do livro.
Bacana o lance do seu recital melancólico. Inclusive esse tema agora me lembrou o Vitor Ramil e as ramilongas dele. Eu não conhecia esse gênero e fiquei impressionado como aquelas músicas quase fazem a gente ver Porto Alegre chuvosa numa tarde silenciosa de domingo. E olha que não conheço POA.
Até breve!