quarta-feira, abril 12, 2006

Curral
















Já vi curral no mar, nunca vi curral no rio. Esse curral é uma armadilha, um caminho que termina nele mesmo, mas também é uma seta, apontando para o mar. Escolhe, peixe. Curral que te prende ou que te liberta?

4 comentários:

Tommy Kondo disse...

Felipe

Fui atrás do Gênero Cynthiano e encontrei vc trelando por essas ruas, ladeiras e lugares soteropolitanos... Vc vê a cidade de um jeito diferente. Encontrou no perplexo truncado dos contrastes uma delicadeza, um inusitado, um surpreendente. Gostei. Vou tentar ver sob essa ótica também.

Beijo!!!

Felipe disse...

Tommy Kondo!!!
Bom te ler por aqui! E bom ver que as fotos te deram um motivo para aliviar os embates com certas características incômodas desta cidade-baía. Olha, saiba que aguardo ansioso a liberação para divulgar aquele blog massa daquela nossa amiga, lembra?
Beijão!

Tommy Kondo disse...

Felipe, homem das artes!!!

Menino, nem avisei, o faço agora, com uns 5 meses de atraso... Nossa, como pude deixar de avisar um dos meus 11 fiéis leitores??? Aliás, não avisei ninguém, o povo é que foi me perguntando o que tinha acontecido com o blog e eu ia dizendo. O "Minha vida de doméstica" findou-se em Dezembro 2005, quase um ano depois de criado pois achei que não tinha mais o que contar, ou seja, o ciclo completou-se. Mas já penso em outros temas.

Obrigada por ter me lido. Era uma honra. (^^)

Felipe disse...

Pois é, Tommy, eu não sabia... ficou a saudade...
Pense em outro! Se estiver a fim, claro.
Bj