domingo, janeiro 07, 2007

Separação


Água é água e areia é areia. Que bom que é assim.

10 comentários:

Fábio Pinheiro disse...

Mas não é que formam um belo par?
Bêjão que esse ano vai ser bão! Cabra, cadê meu chapéu de palinha?E pra não perder a deixa: estou montando teu 'fotógrafo'. Grande abraço!

Aleksandra Pereira disse...

É bom que seja assim, meu querido, mas também é bom lembrar o quanto de areia encontramos nessa água, e o quanto de água infiltrou-se através dos grãos.

É uma dependência saudável.

Beijo grande, bom domingo.

Vivien disse...

Vim comentar a imagem e seu hiper curto post....mas me impressionei com os comentários. Essa forma praticamente coletiva de construção do blog me fascina!!! beijos.

Felipe disse...

Formam, sim. Maior harmonia na diferença.
Esse ano vai ser bão sim, Caio. E o chapéu... bom, isso vou ter que te contar ao vivo, que é uma longa história.
Êê! O fotógrafo está vindo? Massa!!! Pense numa pessoa curiosa! Pois é, sou eu!
Abração!

Felipe disse...

To ligado, Alê.
E tu também.

Essa foto me lembra aquele música do Lulu, "A vida é mesmo assim", acho que o título é esse.

Beijão e um domingo belo de bom pra ti.

Felipe disse...

Também me encanto com isso, Vi.
Beijão

paty disse...

Esta separação é fundamental.Pois causa um bem estar enorme.Beijos

Ana disse...

A água reflete a luz...
A areia antecipa a noite...

Felipe disse...

Concordo contigo, Paty.
Coloquei o título "Separação" pensando no Gênese da Bíblia, na criação do dia e da noite. As coisas parece que são separadas justamente para poder se combinar melhor. O contraste valoriza as partes e aponta para um modo de como elas podem se organizar e formar conjuntos, um todo.
Separar-se é uma forma de ver a si mesmo, compreender a própria identidade. Não é uma separação como isolamento, mas como percepção de si mesmo dentro de um contexto. Paradoxalmente é quando sei quem sou, quando vejo os contornos de mim mesmo, é que posso ter uma noção da minha dimensão e servir melhor ao todo.
Beijão

Felipe disse...

E olha só a Ana na mesma sintonia...

Bela imagem em suas palavras, poetisa.

Areia é areia e água é água, mas as praias são o todo onde ambas se combinam sem perder a identidade.

Beijo