domingo, setembro 17, 2006

Fogo

















Gosto muuuuuuuito das cores desse por de sol. Fico fascinado sempre que a natureza dá um toque de que ela é muito mais do que comumente nos parece ser.

P.S.: Meu pai me explicou que essas cores vêm da refração do sol nas inúmeras partículas (água, fuligem, poeira, produtos químicos em geral) que ficam em suspensão na atmosfera. Dependendo da concentração e das 'dosagens' dessas coisas todas, vêm essas tonalidades que a gente vê quando o sol se põe. Claro que a gente pode obter o mesmo efeito com filtros, mas este não foi o caso.

4 comentários:

Leonardo disse...

Muuuuuito linda a foto, Felipe! Parabéns. :)

Sem querer ser chato, este sol alaranjado/avermelhado que vemos no poente tem sua base no comprimento de onda de cada uma das cores do espectro prismal se relacionando com moléculas de nitrogênio e oxigênio (que dispersa as ondas mais curtas, daí o céu ser azul) e a distância que esta onda precisa viajar até chegar aos nossos olhos (maior distância durante o pôr do sol por causa da curvatura da terra).

Mas seu pai está certo ao dizer que poluição afeta a refração da luz. Cubatão, por exemplo, pode ter poentes lindos, pelos motivos errado... :-/

[]s :)

Felipe disse...

Ahahahahahah!
Não foi chato, não, Leo. Valeu a explicação redondinha. Isto é uma alusão a um comentário que fiz na Elis, sobre o fato de que a gente sempre aprende mais um pouquinho sobre a natureza das coisas... e sempre vai aparecer um pouco mais pra gente aprender, sempre, sempre, sempre. :)
[]s

Gênero Cinematográfico disse...

Caraaaaaaaaaaamba Flip!
Como tu pode hein?
fazer dissertação, ser tu e ainda tirar essas fotos tamporosas?!
"Felipe Botelho o homem múltiplo!"
he he he
bjs

Felipe disse...

Oxe. E tem misterio nisso, Tchory?
É só num largar a mátchica fotogramátchica. Levo a máquina pra todo canto. Pintou imagem e oportunidade... é crique! :)