sexta-feira, outubro 06, 2006

Marola

Não sei exatamente o que é uma marola. Também não fui olhar no dicionário. Suponho que seja um tipo de onda. O nome soa como se ela fosse uma coisa miúda, amistosa, brincalhona, que sai rolando graciosa, quando inventa de aparecer aqui ou ali pelo mar afora. Mas pode não ser nada disso, o que não impede que também seja como a imagino.

6 comentários:

Leonardo disse...

Marola, rola. Ainda bem, porque chato não rola! ;) ;) ;)

Felipe disse...

Eheheheh!
Donde se conclui que marola chata seria um paradoxo ;)
Dava pra fazer um doutorado sobre isso: "o paradoxo da marola chata - a bidimensionalidade do movimento cilíndrico no contexto das ondas do mar da Ribeira em Salvador-BA"
;D

Elis disse...

O significado é mesmo o contrário, mas confesso que gostei mais da sua descrição. Mais poética, mais feliz. De violenta, já basta a vida nesse país.

Bjão, amigo.

Felipe disse...

É mesmo, Elis. Também me incomoda muito tanta violência sem diálogo, sem encaminhamento de solução pacífica.
Bjão deste amigo

Leonardo disse...

Ihhhh... segura o homem que ele está doido!!!!!! hahahaha... Mas aí tinha que ser tridimensionalidade, porque senão não seria movimento cilíndrico, mas cirucular! Boa sorte na procura de um orientador. Hehehe...

Isto para não falar no sentido sócio-comunicativo vulgar da fala "chato não rola!" :o

[]s

Felipe disse...

Claro! Que graça há em ser são?Olhe, criatura, o paradoxo está na bidimensionalidade do cilindro, home de jesúi! Se botar o negócio na tridimensionalidade acaba a graça da história, porque cilindro tridimensional, além de pleonástico, é a coisa mais banal deste mundo. Já um cilindro plano, uma marola chata, UAU, aí é que a coisa fica quentchhhhhhh.
O Caetano Veloso daria um ótimo orientador.
:D
[]ão