sexta-feira, outubro 13, 2006

Sexta-feira 13

















Escolhamos que tipo de dia vamos querer para nós. Não só hoje, mas sempre. É bem provável que isso faça diferença.

10 comentários:

paty disse...

Lipe,
eu nunca fui superticiosa.
Hoje pela manhã, minha filha me indagou se eu visse um gato preto o que faria; a respondi- seguiria tranquilamente.É sempre muito bom ler teus post e contemplar tuas imagens. Beijos com carinho.

paty disse...

Voltei para te pedir perdão...é que roubei seu pensamento de hoje.Qualquer rejeição me avise que retiro.Bjos

Felipe disse...

Ah, Paty, eu sou um supersticioso atípico. Sempre dou um jeitinho de ajustar as superstições e de ver uma brechinha pra conversar com elas. Isso não foi da noite para o dia. Comecei a rever minhas crenças nessas coisas desde um certo dia, há uns vinte anos. Eu estava muito mal, deprimido, desencantado de tudo. Estacionei o carro na minha casa (eu morava com minha mãe e o segundo marido dela, na época) e me sentei no batente da entrada, sem ânimo. Aí apareceu um gato preto, andando por baixo dos carros. Eu me lembro de ter pensado; "só faltava aparecer um gato preto agora". E comecei a rir. Aí o gato parou e ficou me olhando. Eu fiz aquele barulhinho que a gente faz quando quer chamar gatos, assim, como quem não quer nada. E sabe o que aconteceu? O gato veio até onde eu estava e ficou um tempão ali, se deixando acariciar. Eu ria e chorava, como se estivesse largando um peso enorme das costas. Aí, de repente, o gato olhou para o lado e saiu correndo. Nunca mais vi aquele gato, mas toda vez que vejo um gato preto, me lembro dele e dessa situação inusitada.
E fica tranquila com a história do 'pensamento roubado'. Achei ótimo ser roubado dessa forma tão carinhosa e com uma finalidade tão nobre.
Beijão

Ana disse...

"Escolher"!

Êta verbo difícil de conjugar, as vezes!

(Acho que também vou "roubar teu texto e fotografia!!)

poemusicas disse...

Felipe,

Todos os dias de minha vida, eu, repeditamente, tenho desejado que o dia seguinte seja um bom dia. Rezo prá que isso aconteça.`
Às vezes, o fato de só imaginar, planejar o dia que se quer viver, isso não necessariamente, pode se concretizar.
Hoje, na minha idade, já acho mais prático e rentável, você, assentar os pés, sem superstições, e daí, forçadamente, como quem põem uma camisa no corpo e a sente arder, passar por cima de tudo, em prol de todos, fazer um dia, proveitoso.
A depressão nos ensina isso. Ela te mostra o mundo horrível, sem jeito, descabido, e você, por estar vivo, bulindo, como dis-se nointerior, tem de levantar à duras penas, querendo não voltar contra a amrgura, toda a sua indignação por ela. Mas é invvitável fazermos isso. Este mar sugere-me o oposto. Nós temos de escolher o lugar, o dia se faz por lá. Da forma como e te falei. Levantando às vezes os pés com aquelas bolas de presidiários americanos.
Um abraço
Naeno -

poemusicas disse...

Como posso mudar este nome tão feminino que me deram POEMUSICAS,
do meu espírito?
Vamos Felipe, me diga, rop rovaf.

paty disse...

Lipe,
esta sua forma de encarar as supertições é mesmo bem legal e acabei me emocionando com essa história que vc relatou. Gostaria se possível te add no msn ,caso seja viavel à vc, meu endereço é (girl_cem@hotmail.com.)Bjos

Felipe disse...

Oi Naeno
Para mudar esse nome você tem que ir nas configurações do Blogger e ver onde é que ele está aparecendo. Você deve ter preenchido alguma lacuna com ele e aí, é só substituí-lo pelo nome que você achar melhor.
Acho que já te respondi isso com mais detalhes em um post anterior. Dá uma olhada e segue aqueles passos que você consegue.
Abraço

Felipe disse...

Oi Paty!
A história do gato tb me emociona até hoje.

Tenho hotmail mas não tenho participado de bate-papos já há algum tempo, pois os estudos andam me ocupando bastante. Minhas escapadas se resumem a este blog. Ainda assim vou te mandar meu e-mail através do endereço que você enviou, tá?
Bj

Felipe disse...

Aninha!!!
Escolher é difícil, sim, porém essencial.
Beijão