sábado, fevereiro 24, 2007

Ceuzão

Que no meio das noites mais escuras e das tempestades mais assustadoras, sempre haja uma referência de paz insistindo, resistindo na memória, alimentando de ânimo o espírito que se queda atordoado, a imagem de um lugar que represente o bem-estar para o qual se espera retornar quando a inquietude passar.

6 comentários:

Leonardo disse...

Sócio, você nem tem idéia de como texto e imagem vieram a calhar...

Obrigado!

Aleksandra Pereira disse...

Tenho parado mais esses dias para admirar o céu. Talvez por me dar mais tempo, tenha mais oportunidades para enxergar o mundo, me enxergar nele. Aproveitando o fim de tarde, sem o sol de torrar na cabeça, tiro para caminhar na beira da prais, água morna nos dedos, vento nos cabelos. Lendo assim parece até filme de Hollywood ou comercial de margarina, mas mesmo morando perto do mar mal o visitava antes, por falta de tempo. A gente vai descobrindo como isso é relativo, e não tirar um momento desses só pra gente fará uma falta danada mais prá frente.

Aí fico lá de bobeira, olhando o céu, o dia acabando, e mesmo quando o tempo fecha ou a noite chega eu já me sinto tão integrada naquilo tudo, que me dá forças para acreditar que os problemas vão passar.

Nada como um dia após o outro. Se tiver no meio um céuzão desse pra gente olhar, melhor.

Beijo, meu lindo.

Fábio Pinheiro disse...

Você descreveu aí a tal da Cocanha. Quem não quer Cocanha? Nunca deixamos de ser o que já fomos e essa criança em nós, toda oralidade, só quer berço, embalo de rede, bênçãos celestes e um par de seios fornidos.Mas carnaval já passou. Agora é quaresma.

Felipe disse...

Estamos aí, sócio.
Um belo Kit Sincronicidade pra todos nós.
Abraço

Felipe disse...

E como a gente precisa dessas referências mais essenciais, né Alê? É feito uma vitamina da qual também não podemos prescindir.
Beijo, minha linda!

Felipe disse...

É isso mesmo, Caio.
Cocanha já!
Vu mandar fazer adesivo e colocar em todo canto.
Abraço pra ti.