quarta-feira, julho 26, 2006

Comum

É comum que quem veja coqueiros todos os dias não lhes dê qualquer valor, mas há nórdicos que sonham com o dia em que poderão ver um coqueiro de perto. O comum tende a perder a graça ou somos nós que tendemos a nos desencantar com o que aparentemente é - ou se tornou - comum?

2 comentários:

Ana disse...

Cada vez me encanto mais com a paisagem que me cerca, com as coisas do cotidiano, com os pequenos deslumbramentos. Tem sido um aprendizado, este, de parar de imaginar o que está distante e poder me certificar do que está ao alcance da minha mão.

Felipe disse...

Eu pensei exatamente nisso hoje, quando terminei de tomar banho e me dei conta de que tinha tomado um banho no automático, pensando em outras coisas. Nem curti a gostosura que é a água do chuveiro caindom em cima de mim. Nem aproveitei pra relaxar. Esse tal de 'automático' tem muito a ver com esse outro tal de 'comum'. Hábito não tem força. A gente é dá força pra ele.