quarta-feira, agosto 02, 2006

Biruta

Eis um navião deslivindo no horilonge, prontificado para a ancorissagem nas bordeiras da pistamar. A biruta adivisa que os ventons estão fláceis e as marondas não ameaçalham a chegança. O aquaporto paressim desertado, mas no contextudo há quem contemplácido.

2 comentários:

Ana disse...

Gostei destas palavras levadas pelo vento, mesmo sem entender exatamente a intenção...

Quanto a direção, é fácil: é só olhar a biruta!

Felipe disse...

O lance foi o seguinte:
Vi uma atriz recitando uma poesia de Lewis Carroll chamada "Jaguadarte", onde o autor faz essa brincadeira com as palavras, juntando pedaços de uma e de outra e criando sentidos estranhos e familiares ao mesmo tempo. Aí resolvi experimentar. Peguei a foto da biruta na praia e escrevi ao vento. Foi gostoso de brincar. Experimente, um dia. É divertido.
Se quiseres conhecer o "Jaguadarte", achei no google o endereço http://www.insite.com.br/rodrigo/misc/fun/jaguadarte.html