terça-feira, agosto 29, 2006

Oito















Respondendo à convocação da Ana Roccana, seguem oito coisas sobre mim mais uma foto acidental da minha canela que estava guardada há um tempão esperando a hora de aparecer aqui:
1. Acredito que o tempo não passa de verdade: a gente soma no Ser tudo o que a gente vive.
2. Gosto muito de viajar de carro por estradas por onde nunca andei.
3. Fiz quinze anos de psicoterapia.
4. Amo muito a minha família e gostaria de poder passar mais tempo com cada primo, prima, tios.
5. Fico feliz quando me dou conta de que conheci meus quatro avós e que eles eram pessoas maravilhosas, cada um do seu jeito.
6. Tenho dificuldade de fazer coisas sob pressão.
7. Adoro escrever minhas peças, curtir as coisas que invento.
8. Me emociono com muita facilidade.
Passo a convocação para Cynthia e Leonardo. Se puder incluir não-blogueiros, convido para responder nos comments: Tommy, Cidinha, Pedro, Darley, Upa e Adriane.

17 comentários:

Ana disse...

Adorei saber mais sobre vc. Esqueci de comentar que quem me mandou o convite disse que pediu 8 coisas porque 8 significa o infinito e que somos infinitamente cheio de coisas que valeriam a pena relatar. Ela tá certa e é isso que me encanta: saber que somos, de certa forma, surpreendentes e misteriosos até para nós mesmos!

A tua idéia de convidar pessoas que não tem blog para contarem suas "coisas" aqui foi maravilhosa!

E a foto acidental da tua canela arrasou!
;)

cidinha disse...

Obrigada pelo convite. Até agora tava lendo/conhecendo um pouco mais sobre vocês.E nem havia me passado pela cabeça que eu seria convidada. Sou mais de dá pitaco nos blogs. Não sei se terei "coragem" de aparecer. De qualquer forma, vou pensar no teu convite.
Obrigadão, Lipe

Leonardo disse...

Felipe,

Bacana sua lista. Gostei especialmente do lance dos seus avós. Muita gente cresce com a companhia dos avós e "take it for granted" (sorry :-/).

Eu, por exemplo, não conheci nenhum deles, nem materno, nem paterno. Se bem que com a idade dos meus pais... hehehe.

Obrigado pelo convite! :)

Elis disse...

Poxa, tbém me chamou a atenção o comentário sobre os avós. Cara, sabe que é raro alguém que teve essa oportunidade se tocar disso? Geralmente, são pessoas que não tiveram esse convívio que sentem mais, seja por sensibilidade real, seja por saudade daquilo que nunca teve. Lindo mesmo. Abraço.

Felipe disse...

Ana,
toda vez que vejo o número 8 sempre penso nisso, do infinito. Concordo com a idéia de que a gente tem um infinito de histórias pra contar - tanto que dá essa sensação de que tem um mundo imenso e misterioso dentro da gente. Sinto isso também. Vê só, para começar a relacionar as minhas 8 coisas, foi difícil, mas depois, foi tão rápido que num instante acabou.
:)

Felipe disse...

Cidinha,
fique bem a vontade. Não é algo muito fácil de se fazer, reconheço, mas no final dá uma sensação boa de ler aquilo. Vem coisas que eu nem imaginava que me tocassem tanto.

Felipe disse...

Poxa, Leonardo,
é como a Ana estava falando, as várias histórias de cada um.
Ter pais idosos deve ser um pouco como ter pais e avós numa mesma embalagem. É uma situação que nunca imaginei.
Quanto os meus avós, nunca cheguei a morar com nenhum deles, sempre tiveram a casa deles, a gente visitava, tinha uma coisa ritual que me lembra muito o que a Ana fala por aqui da família dela. A medida em que os vós foram partindo, a família foi se dispersando, formando grupos menores. São raros os grandes encontros familiares como havia antes. Acho tão estranho isso, hoje, comparando com o jeito que era na minha infância.
É difícil imaginar como seria a minha sensação se eu não tivesse conhecido nenhum deles. Talvez uma curiosidade imensa, que era a que eu tinha, por exemplo, quando minha avó falava da mãe dela, a bisa, que minha mãe morria de medo. Eu achava graça. Ficava tentando imaginar que tipo de mulher botaria medo em minha mãe.
Sobre a lista, fica a vontade tb para responder se quiseres.

Felipe disse...

Obrigadão por esse feed back, Elis.
Não me dei conta que homenageei os quatro sem perceber. Saiu tão natural.
Tenho me surpreendido muito ultimamente em perceber a importância que tem e teve cada pessoa que conheço e conheci, e o quanto cada uma ganhou um lugar em mim.
Abraço

marcia disse...

sou tua irma gemea no numero 2. :P

Felipe disse...

Ah, sim, Márcia, o 2 é muito bom. Nem faço questão de dirigir - que também adoro. Só não gosto de ir no banco traseiro. Uma porque eu enjôo, ainda mais se o motorista ficar dando aqueles breques bruscos. Outra porque tenho umas pernas compridas e aí, dependendo do carro, fico meio desconfortável.

Gênero Cinematográfico disse...

como já havia feito uma lista a pedido de Denise, de propósito, de mermo, de verdade, vou fazer uma só pra tu, aguarde rs
bjs
Tchory

Felipe disse...

Eu tinha entendido, Tchory.
Não fiquei triste, não.
Mas quem mandou prometer outra lista? Vou ficar aguardando.eheheh.
Bj

cidinha disse...

Lipe
Fiquei pensando em atender ao teu pedido. Sou uma menina educada, visse? Então não poderia deixar de responder a esse convite tão gentil.
Obrigada pelas palavras carinhosas com que me tratas e por teres dito lá na Ana que achaste massa me conhecer. Eu nem preciso dizer que já sou tua fã desde que te conheci aqui, né?

Bem, lá vão as oito coisinhas sobre mim:
1)Vivo o hoje da melhor forma possível - não me apego ao passado e tento não projetar o futuro;
2)Acredito na lei da ação/reação sobretudo para o s seres humanos;
3)Amo e tenho orgulho da minha família - pais,irmã(o)s, sobrinha(o)s. Nela há a prática constante do amor e da união;
4)Acho que cada um é capaz de mudar a sua história e de ser feliz;
5)Acredito/pratico o amor sem posse e o respeito à individualidade;
6)Penso que um lugar bom pra se viver é o que nos acolhe, nos deixa feliz e nos proporciona crescimento humano/intelectual/financeiro.
7)Adoro conhecer novas pessoas e novos lugares, assim como caminhar/ficar sozinha;
8)Infelizmente não tenho a mínima habilidade para as artes.

Felipe disse...

Ah, Cidinha! Olha, fiquei feliz de você aceitar o convite. Eu nem imaginava que você ia escrever mais, já tinha até entendido, poxa, bate uma timidez as vezes, fazer o que, né? Ai, de repente, lá está Cidinha. Valeu!
Me identifiquei com quase todas as suas respostas. Sobre a 7 eu não posso dizer que adoro ficar só, mas admito que as vezes gosto. Acho mesmo que tem horas que a gente necessita mesmo disso, como um tipo de fome, fome de ficar consigo mesmo, até pra se centrar. E na 8, quase botei minha mãe louca de tão arteiro que fui na minha infância e adolescência.
Ah, a que gostei mais foi a seis. Acho que você sintetizou tão bem o que deve ter um lugar bom pra se viver. A sensação de acolhimento é fundamental, especialmente quando a gente chega num lugar novo.
Valeu Cidinha!!!!
Abração pra ti!

cidinha disse...

Lipe
Eu também adorei me colocar e me senti muito lisonjeada com o teu convite. Vi nele uma oportunidade pra falar um pouco sobre o meu modo de pensar e de agir diante da vida, principalmente para as pessoas que ainda não me conhecem tanto.
Agora, depois dos minutos de fama que os amigos dos blogs me proporcionaram (thelma, Ana e tu), essa pernambucana de olhos cinza furta-cor está adorando receber o carinho de quem me lê e diz que se identifica com algo que está aí e em seguida fala um pouco de si.Esse elo que se forma é maravilhoso.
Da mesma forma que adoro saber das afinidades, se houver alguma opinião diversa da minha irei refletir.
Um abração e obrigada.

Felipe disse...

De nada, Cidinha! Disponha do espaço. Sempre que tiver essas coisas eu te chamo pra você ir aproveitando essas viagens.
:)

Tommy disse...

Felipe, Lipe, Liperama...

MININU, você tá nos chamando pra trelar com nossas pessoalidades, né? Sinto-me honrada em poder participar dessa convocação.

Confesso que tomei um susto, mas depois que entendi, fiquei me deliciando com as infinitas revelações do tal "8".

Aí seguem as minhas:

1)Aprendi a não duvidar de nada, e só acreditar na Fé.
2)Já tive muitos endereços, morei de Norte a Sudeste desse Brasil, conheci vários lugares, desejo estar em outros tantos, mas sei que é só dentro de nós mesmos que descobrimos a verdadeira felicidade.
3)Amo de paixão minha Filha, meu Marido e meus Amigos; morro de saudades da minha família, um misto de sírio-libaneses e do outro lado, japoneses - então, sei conviver muito bem entre esfihas e sushis. hehehehe
4)Não sobrevivo sem café nem chocolate. Odeio dietas, coca-cola light e aquele pessoal que acorda disposto às 5 da manhã e sai de malha coladinha no corpo pra ir caminhar...
5)Detesto filas, trânsito e gente que cruza as ruas em diagonal e pára do nada na sua frente.
6)Tenho duas cicatrizes, mania de arrumação e um medo imensurável de baratas.
7)Não sei bordar, tricotar ou costurar, mas acho que monto um ateliê antes dos 60 anos.
8)No meu tempo livre, faço scrapbooking, desenho o projeto da casa-grande (a casa dos meus sonhos) e penso na tatuagem que ainda vou fazer.

Beijo!
Tommy