sexta-feira, agosto 25, 2006

Fluxo

O mundo gira como um carrossel, mas não fica parando pra ninguém subir ou descer. Tudo vai, tudo vem, sem intervalos. O mar é inquieto, todo mundo vê que ele não pára. Mas até as pedras se movem, num tempo só delas.

4 comentários:

Gênero Cinematográfico disse...

Quando eu era pequena tinha mania de mandar parar o carrocel.
Pára! Quero descer.
Um beijo salgado de mar.
Tchory

Gênero Cinematográfico disse...

Continuação:
E ele parava...

Felipe disse...

Cynthiorama!!!
Pois quando o treco parava, depois de rodar as rodadas da vez, eu ficava lá no cavalinho, com a cara mais cínica do mundo, fazendo de conta que não sabia que tinha que descer, pagar de novo e voltar pra continuar andando.
Beijo docinho de coco da Bahia.
Flip

cidinha disse...

e por falar em carrossel...eu, meu irmão e alguns colegas ficávamos amocegando o dito cujo, além de tentar nos livrar das chibatadas que o dono do carrossel dava nesses "caroneiros". Se conseguíamos pegar o carrossel correndo, ficávamos até o fim- o que não demorava nem duas voltas- se não, poderíamos sair arranhados da queda ou da chibatada. E olha, esse esse cara colocava o brinquedo dele na terra do meu pai e nunca teve coragem de dar nem uma corridinha de graças pra mim e para meus irmãos e nós nunca falamos desse tratamento Vip ao nosso pai .Recordações do tempo de criança...