domingo, novembro 19, 2006

Comemoração

Ia ser só um bolinho de aniversário e acabou virando uma mini-grande-farra.










































































22 comentários:

Gênero Cinematográfico disse...

Que massa!!!
Tuas festas são sempre MUUUITO BOAS pode ser aqui ou em qualquer lugar.Hummmmm e essa torta hein? Pelamordedeus!!!
Um beijo

Ana disse...

Lipeeeeeeeee!

Tu é completamente diferente da foto do teu perfil!!
Te imaginava mais gordinho! Hehehehe! As últimas fotos publicadas é que me fizeram ver como estava enganada a respeito da tua aparência! Impressionante!
Mas, de qualquer forma, extremamente simpático, sorrisão, cercado de amigos por todos os lados! Isso eu acertei desde sempre!
Beijão, Lipe!!

Felipe disse...

É que foi de improviso! Foi tudo de última hora, na brecha das estudâncias. A gente até já conversou sobre isso, Tchory. Parece que quanto menos a gente planeja essas coisas de se divertir, melhor fica.
E a torta tava do jeito que tu gostas (tu sacaste logo, não foi? Me lembrei dos nossos lanches lá na cantina da FJN), com bolo molhado, chocolate melecado e moranguim fresco no recheio. Tanto que nem sobrou pra repetir...
Beijo!

Felipe disse...

Sou magrim, sim, Aninha!
Puxei a família de meu pai, onde todos os homens são assim, magros e altos (tenho 1,86). A foto do blog eu tirei bem de perto, vai ver que a lente abolachou minha cara ;D
Beijão!

Aleksandra Pereira disse...

Ah, que gostoso!
É bão tá perto de quem a gente gosta, principalmente se esses gostam da gente!

Vem cá, e esse bolo que você estava "psicoseando"? Morango e chocolate? Ô combinação de perdição!

Beijocas, bom domingo!

Felipe disse...

Ahahahahah! Isso mesmo, Alê Cinéfila! Fiz até a musiquinha na hora de cortar o bolo "tim tim tim tim". Também, com uma faca daquelas!

O nome do bolo é "torta-paixão". Não é para menos. :D

Beijos! Boa semana pra ti!

Leonardo disse...

Catsu!!!!!!!!! 1,86m sócio??? Com esta altura você deve ser atração turística no Nordeste!!! hahahahaha (sorry, não resisti!!!)

Agora a tua cara de quem está nas núvens no meio das 3 meninotas... ah... priceless!

Abraço,

Felipe disse...

Tu não deixas de ter razão, Léo. O padrão de altura lá na minha terra fica em torno de 1,75 ou um pouco menos. Ascendência ibérica e norte-africana, creio. Meus antepassados por parte de pai são portugueses e espanhóis, por parte de mãe, italianos, sem contar as misturebas não confessadas. Sou branco, mas garanto que tem sangue masai por aí. :)

Felipe disse...

Ah, Léo, as três meninotas! Monise, Janaína e Renata. Três fofuras que eu adoro. Só dá pra fazer aquela cara mesmo. :D

Mariana disse...

Farra boa, hein? ;.)

Só pra rebater aí Leonardo: eu tenho 1,76m. Meu irmão tem 1,87m. Meu tio, 1,90m. Todo mundo pernambucaninho da gema, sem raceamento com gaúcho ou coisa parecida.

Isso é um pouco preconceito seu, viu, seu Leo-Indizível? Tem gente grande no Nordeste também. É só ter acesso a comida...

Beijo!

Leonardo disse...

Negativo, Dona Mariana!! :D Estatística é ciência, não achismo!!! No nordeste a estatura média é menor e isto é fato, não achismo. Se eu disser que os Norte-Americanos são em média mais altos que os Brasileiros estou sendo preconceituoso? I don't think so...

Beijo,

Mariana disse...

Leo,

mas que o problema em parte é falta de comida, lá isso é.

Fizeram uma matéria premiada um tempo desses, em época de seca. Um menino gêmeo idêntico a outro, media 15cm a mais que o irmão. Motivo: aprendeu a mamar na cachorra de casa, Piaba. Só foi descoberto dois anos depois. Garantiu assim a cota de proteína e cresceu saudável, enquanto o irmãozinho ficou com déficit cerebral e uma série de outras mazelas.

Já dizia Josué de Castro...

Quanto a mim, às vezes me sinto meio estrangeira aqui, sim. Mas é mais pelo conjunto, com a cor da pele e tudo o mais.

Mas sempre encontrei gente alta por aqui, apesar das estatísticas. 90% dos meus namorados, embora alguns fujam à média: teve um que tinha quase 2m, e outro, 1,63m.

Não sou preconceituosa...

;.)


Beijo.

Bruno Ribeiro disse...

Lipe: parabéns, eu não sabia! Festinha de improviso é o que há. Muito melhor do que as pré-agendadas.

E, olha, desculpe-me se cometo uma indelicadeza, mas quem é essa moça de vermelho (na segunda e terceira foto de baixo para cima)? É uma graça!

Abração e parabéns pelo espaço, cada vez melhor.

Felipe disse...

É, Mari. O Léo só fez constatar o óbvio. A gente mora numa região onde ainda tem muita gente faminta e é essa maioria que aparece na média das estatícas.

Por outro lado, Léo, é verdade o que Mari diz sobre gente nascendo alta por aqui. Por isso eu não ganho um tostão como atração turística. ;D

[]ão pros dois

Felipe disse...

Aê, Bruno, obrigado!
Bom te ler por aqui!

Olha, pelo que ando notando, um bom improviso tende a dar de dez a zero numa boa organização. E o melhor é que uma coisa não exclui a outra - dá pra fazer uma basezinha organizada e deixar o improviso acontecer a partir daquilo.

E a gatinha de vermelho se chama Renata.
Abraços!

paty disse...

Que delícia de farra Lipe! Hummmmmm, fiquei intê cum inveja huhu.Bjão

Leonardo disse...

Felipe, Mariana,

Isto me fez lembrar a história de um amigo que visitou uma província remota da China em 1995. Um dos funcionários do pequeno hotel em que se hospedou pedalou 50 Km com a mãe de mais de 70 anos na garupa porque ela não queria morrer sem antes ver alguém que não tivesse os olhos puxados... :o

Bruno Ribeiro disse...

Teu espaço é ótimo, Lipe! Nem sei porque ainda não linkei o seu blog no meu. Farei isso hoje à noite, assim que tiver um tempinho. Grande abraço!

Felipe disse...

História incrível, Léo! Engraçado é que, do mesmo modo que os ocidentais têm aquela coisa de dizer que "orientais são todos iguais" (porque não são uma referência comum para o Ocidente), os orientais declaram ter a mesma sensação com os ocidentais.

Me lembro daquele clichê hollywoodiano, da moça loura chegando na "tribo primitiva" e sendo cercada pela turma, todo mundo com os olhos arregalados, dizendo "ãããn" e pegando nos cabelos dourados. Esse negócio de ponto de vista é foda...

[]ão

Felipe disse...

Fica a vontade, Bruno!
Me tornei um fã do seu blog desde a campanha eleitoral, quando fui apresentado a ele através do Gênero Cinematográfico.
Abração pra ti

TARCIO VIU ASSIM disse...

Todo mundo com cara de felicidade! Eu não gosto de festas de aniversário, principalmente as feitas de surpresa, mas com essa torta e essa gente cheia de dentes, filho de Deus, eu aceitava fazer 3 festas de aniversário no ano!
Abraço sertanejo.

Felipe disse...

Pode crer, Tárcio!
E acho que ajudou muito a combinação de improviso + turma mais próxima + noite de sexta-feira + tudo meio largadão (nada de organização doméstica pesando no juízo). Ah, e o principal, a gente mesmo resolver que a festa vai acontecer, seja como for.
Abração destas bandas soteropolitanas!