sábado, novembro 04, 2006

Respiração



















Depois que pára de chover, sempre vem um por-de-sol arrasador. E ainda tem quem não acredite que este planeta é um ser vivo.

10 comentários:

Aleksandra Pereira disse...

Eu gosto de chuva, mas sabe do que mais gosto? De como o ar fica limpo após a chuva, o destaque que o chão ganha depois de molhado, as plantas agradecidas pelo alimento. O ar fica carregadinho de renovação, de vida.

Beijos,

Bom final de semana!

Felipe disse...

Reconheço essas imagens e sensações, Alê.
Aqui em Salvador, nem tanto, mas lá no Recife eu morava ao lado de uns quintais grandes e quando a chuva começava a cair, eu reconhecia pelo aroma do barro molhado.
Também gosto muito dessa sensação de vida que a chuva traz. Acho bonita essa alternância de sol e de chuva. A Thelma já fez um comentário sobre esse efeito, citando a mudança das estações lá na Espanha.
Beijao pra ti e
bom final de semana tb!

Leonardo disse...

Bonito mesmo!! Ainda ontem a patroa me perguntou "Quando é que você vai levar pro mar???" (silêncio...) "De preferência do Nordeste!" :)

TARCIO VIU ASSIM disse...

Só a gente que é do sertão sabe como chuva é coisa boa! Não é somente o por-do-sol que fica espetacular depois de chuva, nossa alma também se revela num estado de pura graça.
Abraço!

Felipe disse...

Se vocês resolverem ir ao Recife, Léo, me avisem, pra eu organizar uma boa ciceroneada praieira!

Felipe disse...

Falou, Tárcio.

O que acontece é chuva sobrando em alguns lugares e faltando em outros. Mas, todo excesso acaba em alguma dor.

Nunca me esquecerei de um Carnaval que passei em Pão de Açucar, interior de Alagoas. Na ida, uma sexta-feira, vimos uma paisagem seca de fazer pena, tudo cinzento, a vegetação parecia morta, a paisagem triste, as pessoas tristes, o gado magro, os barreiros eram lama só. À noite vieram trovões e relâmpagos, começou a chover e na cidade as pessoas ficaram loucas de tanta alegria, pois fazia meses que não caía uma gota dágua de chuva. Choveu até a terça-feira, quase sem parar. Quando voltamos, na quarta, a estrada parecia outra, a paisagem estava toda verde, um verde vivo, brilhante. Havia até pequenas flores nas margens da estrada. No carro, ficamos todos muito emocionados.

O sertanejo tem toda razão de entrar em estado de graça. Para uma região onde a chuva nem sempre vem, a presença dela é uma bênção explícita e definitiva.
Abraço

Leonardo disse...

Obrigado, Felipe, mas $ eu $ não $ vejo $ isto $ acontecendo $ em $ um $ futuro $ próximo $ :(

[]s

cidinha disse...

Que foto lindaaaaaa!!! Arrasaste, Lipe!!!
Beijão

Felipe disse...

Mas, Léo, haverás de convir que também estamos sujeitos às surpresas boas de ordem financeira. :)
Aguardo vocês no Recife.
[]ão

Felipe disse...

Obrigado, Cidinha!