terça-feira, novembro 21, 2006

Olhos

Obviedade subestimada: parecer não é ser.


19 comentários:

Leonardo disse...

tá bom... desde que a abelha não se confunda...

:)

Vivien disse...

(Ai, leo, que nervoso....rsrs...)
Felipe, como sempre, olhar especial sobre tudo.

Patricia disse...

E aí, já marcou a passagem?

Vemtimborahome!

Thelma disse...

Legal a semelhança! Tu és super criativo! Bjs.

Thelma disse...

Vaitimboraguri! Um mandado de irma tem força!

Felipe disse...

O perigo é justamente esse, Léo.
:D

Felipe disse...

É só provocação, Vi. Pra gente se mexer na mesmice e brincar mais com as coisas que tem no mundo e estão ali, tão perto da gente, 'falando' mil coisas.
Bjim

Felipe disse...

Ahahahahahah!
É assim, é?
Ahahahahah!
Valeu, Patita.
Beijão

Felipe disse...

Obrigado, Thelma!
Gosto demais de ficar inventando coisa. Incontrolável. Mesmo que eu fique quieto, a cabeça tá lá, viajando. Experimenta tu também!

Ah, tu viste lá, a outra, né? Pois é, fazer o que. Melhor seguir o conselho.

Beijo

Mariana disse...

É pra Recife que vc vem?
Uhu!

Felipe disse...

Sim, Mari. Tem um casamento na família. Mas é uma ida super rápida, pq to terminando de revisar o que v já sabe para entregar no começo de dezembro.
Beijão

paty disse...

Muito dez estas tuas comparações Lipe. Sabe que tenho tentado fazer o mesmo por aqui,rssss
sem sucesso é claro,ahauhauhau, tem coisas que já vem com a pessoa, ou seja é dom, não adianta querer copiar. Bjão

TARCIO VIU ASSIM disse...

Ê Felipe, parecer não é SER mesmo não. Veja bem como eu pareço com o Orlando Bloom, o Tom Cruise, O Toni Garrido...
Abraço. (Hoje eu acordei pra escrever besteiras... ;-)

Julio Cesar Corrêa disse...

Realmente um olhar diz muito. Muitas vezes ele desmente o que as palavras estão dizendo. No cinema e no teatro se trabalha muito o olhar.
gd ab

Gênero Cinematográfico disse...

...negócio aqui tá zoo hihi
artche contemporânea Liperesco.
beijo

Felipe disse...

Oxe, Paty!
Viaje! Seu blog é seu. Ponha o que lhe der na telha, não importa se é cópia, nem se tem dom ali ou não. Na minha cabeça, dom é aquilo que faz a gente feliz. E geralmente é algo que está com a gente há tanto tempo que a gente nem nota e nem dá valor. Se jogue. Se expresse como achar mais bacana.
Beijo

Felipe disse...

Ahahahahah!
Bom é acordar assim, Tárcio, digo Orlando, ou melhor Tom, aliás Toni!

Que seja iniciada a campanha pelos direitos de expressão da Bobagem Humana! Necessitamos da bobagem para sobreviver ao entulho da seriedade morta e - pleonasticamente falando - sem graça nenhuma!

Abração!!!

Felipe disse...

Adoro isso, Júlio!

Sou fascinado por esse potencial que o teatro e o cinema têm de subverter a expectativa do olhar.
Tem um filme que assisti há pouco que toca exatamente nesse ponto, "O grande truque". Já viste?

Abraço pra ti

Felipe disse...

Mas teco, Tchory!
Tu sacaste legal. To surfando numa onda conceitual muitcho doida, tá ligada?
Cheirim